Ser burro (como de costume, King Friday)

Os blogues podem incluir conteúdos sensíveis ou desencadeadores. Aconselha-se a discrição do leitor.

Há já algum tempo que ando a pensar na forma como quero lidar com esta coisa da escrita.

Porque a ideia de ter um romance em série neste blogue me pareceu divertida. (Sim, estou a ver o humor depois do discurso de Lothair sobre o medo de se transformar em Dostoiévski). Partilhar a escrita às vezes ajuda-nos a escrever mais. E eu podia trabalhar em várias coisas ao mesmo tempo. 

Mas depois pensei: "Mas e se eu estiver chateada comigo mesma por estar no limbo há tanto tempo e estiver a tentar 'expiar'?" Nós... parece que temos a mania de cortar partes do nosso corpo e atirá-las para todo o lado. De certeza que ninguém quer acordar com uma perna cortada em cima da mesa da cozinha. Ou... na verdade, nem sei se essa é uma afirmação correcta depois de algumas das coisas que vi. Todas as iterações possíveis do ser humano parecem existir em simultâneo.

Mas ocorreu-me. Esta manhã. Enquanto arrancava (metaforicamente) o meu cabelo... que estou apenas a ser um idiota, mais uma vez.

Porque provavelmente preciso de acabar de esboçar o enredo deste romance antes de me preocupar com o que vou fazer com o raio da coisa. 

Oh, meu Deus! Que revelação chocante! 

Por vezes, gostava mesmo de deitar fogo a tudo. Mas com todo este gás a infiltrar-se no ar que respiramos, o mundo inteiro iria provavelmente explodir. Por isso, tenho de descobrir onde raio pusemos a nossa máscara de gás, organizar-me e planear isto. 

(Simon quer que eu faça uma piada negra sobre Achenar, mas não tenho energia para explicar o enredo do Apocalipse neste momento).

Mas... podemos, como sistema, concordar em não ser Achenar desta vez?

Jesus Cristo.

(Exatamente! Exatamente!)

Nada de collies, nada de raposas prateadas, nada de irmãos que aprenderam a odiar-se a si próprios depois de destruírem o ecossistema da sua cela de prisão na enseada dos piratas.

Sou apenas uma pessoa muito cansada e rabugenta que quer desistir e dissociar-se até envelhecer e morrer.

Não o farei. Eu só... eu quero. Eu quero mesmo, mesmo muito.

Então.

Vou tirar algum tempo para trabalhar no esboço deste romance hoje. E vou tirar algum tempo para limpar esta zona de desastre que é a minha casa. (Aparentemente, o Charles está a oferecer-se para ajudar. Estranhamente, parece que não o conheço bem, por isso vamos ver como corre. Não faço ideia de quantos de nós, portadores de traumas, fazíamos parte uns dos outros, e é surreal. Alguém está a correr para te ajudar, e talvez tu venhas a ser um deles um dia, ou talvez ele tenha sido o teu arqui-inimigo, ou talvez vocês já estejam no mesmo subsistema, ou talvez ele seja apenas um Tipo Qualquer).

É espantoso - de uma forma assustadora, analítica e científica - o quão lixado o cérebro humano é capaz de ficar sob tortura. Eu... vou usar a palavra "tortura" em vez de tentar explicar, porque se encaixa melhor do que possas imaginar. E não me consigo lembrar de nada. São apenas flashes e pedaços que eu honestamente não tenho os pontos de saúde mental para examinar neste momento.

Mas sim. Tudo isto é só para dizer: "Sou um parvo. O Lothair pensa demasiado e também é um idiota. Posso muito facilmente desfazer todo o trabalho que o nosso terapeuta nos ajudou a fazer, mas isso seria uma estupidez do caraças. Por isso, hoje vou mesmo fazer alguma coisa."

-Sasha

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Saltar para o conteúdo