Está aqui

Os blogues podem incluir conteúdos sensíveis ou desencadeadores. Aconselha-se a discrição do leitor.

No próximo ano, temos mesmo de nos lembrar de pedir uma folga no nosso aniversário.

Não para grandes planos ou algo do género.

Só para não termos de estar a ter um monte de flashbacks enquanto trabalhamos.

Já estamos a ter um monte... e o dia ainda é muito cedo. Só vamos trabalhar daqui a cerca de 7 horas. Blah. Temos um turno de fecho.

Isso não é tipicamente mau. Sobretudo às quartas-feiras. Temos estado a trabalhar com um MOD em particular para os fechos de quarta-feira, e conseguimos um bom ritmo com ele.

Mas esta semana é diferente. Estávamos programados para um turno de fecho com três pessoas. Nós, o MOD e outro. Sinceramente, estava muito entusiasmado. Se tivéssemos de trabalhar no nosso aniversário, eu estava a pensar: "Está bem, fixe. É o MOD com quem fechámos mais vezes e um outro colega com quem já trabalhámos um pouco. Vai ser um bom fecho, com três pessoas a trabalhar nele."

E então chegou o dia de ontem, e ambas as pessoas enviaram mensagens para o chat de grupo, precisando que os seus turnos fossem cobertos. E tipo, isso acontece. Não interessa.

Mas é uma porcaria.

A MOD que vai agora trabalhar é uma pessoa com quem já trabalhámos, mas com quem nunca fechámos negócio. Por isso, não fazemos a mínima ideia de quais as tarefas que ela vai querer que trabalhemos/priorizemos e quais as que ela vai querer fazer sozinha. E depois a segunda pessoa... ela é porreira. Como pessoa, não temos quaisquer problemas. Ela é apenas... muito cheia de energia. O que normalmente é ótimo.

Mas num período de flashback infernal como aquele em que estivemos na última semana, isso vai tornar-se irritante MUITO depressa.

Não sei se devemos enviar uma mensagem para o chat de grupo e ver se alguém nos pode substituir... Eu até quero. Ser perfeitamente honesto e dizer "Desculpem o atraso, mas a minha saúde mental está uma porcaria... alguém pode fazer parte/todo o meu turno esta noite?"

Mas acho que estou demasiado preocupado com demasiadas coisas para o fazer. 

1... e se todos pensarem que eu só quero festejar hoje? É o nosso aniversário e sinto que, como não o pedimos, vamos ser mais vistos/escrutinados por fazermos uma coisa destas à última da hora.

2... dissemos a alguns dos nossos amigos/conhecidos que trabalhávamos e em que turno, e eles disseram que talvez tentassem vir cá dizer olá. Eu sei que podia enviar-lhes uma mensagem e dizer "hoje telefonei para cá" e eles ficariam bem, mas alguém aqui tem medo que os estejamos a "desiludir" de alguma forma?

3... é o dia de terapia semanal da nossa mulher/parceiro do sistema MAIS um dia em que eles sabem que vamos estar a trabalhar há várias semanas. Por isso, não quero estragar nenhum dos planos que eles possam ter para uma noite a sós em casa.

4... literalmente, só temos de trabalhar no domingo de manhã, depois do turno de hoje. Por isso, voltando ao primeiro ponto, faz-nos sentir que vamos ser vistos como alguém que não quer fazer o seu trabalho.

Blah.

Detesto isto.

Também não enviamos mensagens nem falamos com nenhuma das nossas unidades parentais há cerca de uma semana. E foi apenas porque a nossa unidade-mãe enviou uma mensagem primeiro, e era algo que achámos que precisava mesmo de ser resolvido.

Mas, na verdade, é um pouco assustador acordar, mesmo às 6 da manhã de hoje, e ainda não ter uma mensagem de aniversário da nossa mãe-unidade. Esta é a pessoa que, na maior parte dos anos - se não todos - nos acordaria à hora que consta na nossa certidão de nascimento para nos desejar um feliz aniversário. Talvez ela esteja a ser simpática e a tentar esperar por uma altura em que possamos estar acordados, uma vez que não conhece o nosso horário de trabalho?

Provavelmente, ela parte do princípio de que não temos de trabalhar, uma vez que, normalmente, pedimos sempre o nosso aniversário de folga. Mas acho que não sei o que se passa na cabeça dela (graças a Deus), por isso talvez não.

Só sei que estamos assustados.

Na verdade, ultimamente não temos tido de lidar com muitas das tretas das unidades parentais.

Na verdade, estivemos... seguros... durante alguns meses, até

Estamos apenas... à espera que o outro sapato caia.

Parece que tem de acontecer.

Não podemos continuar tanto tempo sem nos magoarmos.

Não podemos estar tanto tempo sem começar a ser felizes.

Alguma coisa tem de partir.

Foi o que o resto da minha vida me ensinou e não sei como o desaprender.

Este é o primeiro aniversário em que estamos realmente seguros.

Que raio é suposto fazermos?

Como é que é suposto funcionarmos?

Todo o nosso ser se baseia no trauma.

Eu... não sei mesmo como COMEÇAR a reorientar o nosso cérebro para não esperar que o trauma aconteça ao virar da esquina.

Estamos sempre à espera que as nossas unidades parentais nos encurralem, sozinhas.

Continuamos à espera das mesmas agressões que aconteceram no nosso outro emprego.

Com tudo o resto a tornar-se mais seguro, o nosso cérebro até se tem esticado e tentado ficar ansioso com a possibilidade de a nossa mulher/parceiro-sistema se zangar connosco. O que, por muito estranho que seja admitir, sabemos que não é verdade. Sim, já se zangaram connosco antes... mas nunca sem razão e nunca do nada.

Mas o nosso cérebro está apenas... a girar. Toda a gente está tão ansiosa com a possibilidade de algo mau acontecer que é como se estivéssemos congelados.

Estamos presos... à espera que algo de mau aconteça.

O que aconteceria se algo de mau acontecesse nesta altura?

Estamos todos tão dispersos.

Mesmo que se tratasse da mesma pessoa e do mesmo tipo de situação que tinha acontecido anteriormente, será que conseguiríamos pôr os alters que conseguiam lidar com isso à frente? Perderiam todo o seu progresso de cura? Será que outros se magoariam no processo?

O nosso cérebro está programado para esperar TODOS os aspectos negativos.

Como é que é suposto começarmos a esperar... e muito menos a ESPERAR... coisas boas, ou mesmo neutras? Será que é apenas uma questão de muito tempo e de muitas situações em que nada de mal acontece que acabarão por passar? Porque, se for esse o caso, ainda vai demorar muito tempo.

Se for esse o caso, devíamos ter pedido o dia de hoje de folga. Blah. Preferia ser capaz de aguentar um dia de grande aflição em casa. Não quero estar no trabalho. Especialmente se vierem pessoas más/grossas como clientes. (Estou mesmo a ver as nossas unidades parentais a virem cá se/quando descobrirem que trabalhamos).

Se vai demorar muito tempo, quero que os dias realmente maus possam ser passados num ambiente em que nos sintamos mais SEGUROS... e não num sítio que ainda estamos a descobrir. Não com um MOD que não conhecemos tão bem. Não com uma colega de trabalho que, sem qualquer culpa, nos irrita quando estamos ansiosos e num estado de flashback intenso.

Blah.

Veremos como tudo isto se desenrola.

Não estou ansioso por isso.

Vamos sobreviver. Mas não vamos ser felizes entre agora e quando, num futuro distante, sentirmos que temos energia novamente.

2 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais votados
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
saoirse.t-e-c
Administrador
4 meses atrás

Espero que o encerramento não tenha sido muito mau para si e que os seus dias de folga lhe tragam descanso e conforto.

Saltar para o conteúdo