A situação de vida continua a causar-nos stress

Os blogues podem incluir conteúdos sensíveis ou desencadeadores. Aconselha-se a discrição do leitor.

Neste momento, não há muitas certezas.

O nosso colega de quarto, aquele que não deitava a merda do lixo fora, está agora a mudar as suas coisas para fora do nosso quarto.

Não sei por que razão estão a sair, não sei se é da nossa conta.

Pelo menos disseram-nos que se iam embora, em comparação com o nosso primeiro colega de quarto que nem sequer nos disse que se ia embora. 

Não sabemos se a nossa colega de quarto vai ficar neste andar ou se vai para outro. Acho que não queremos ficar presos num andar com dois antigos colegas de quarto.

Não parece haver muita estabilidade neste momento. 

O que nos assusta.

Sem saber se podemos ficar bem neste andar e ver como as coisas correm, ou se devemos sair deste andar para algo diferente.

Não gosto do facto de este lugar nos ter trazido tanto stress. 

Tudo bem se já não tivermos um colega de quarto, mas o chão continua a ser uma merda.

Proporcionou-nos uma casa quando precisámos dela. E ainda precisamos de um lar. Mas, provavelmente, não aqui.

Precisamos de estabilidade, precisamos de menos stress, precisamos de um lugar que não seja aqui.

Nesta altura, parece que tudo é interno. As coisas estão a acontecer-nos e nós não estamos realmente presentes para elas.

Estamos sobrecarregados e é realmente uma merda que só tenhamos um par de dias para não estarmos sobrecarregados antes que outra coisa nos faça ficar sobrecarregados. 

~~

É suposto fazermos os trabalhos de casa, estamos atrasados na leitura para a nossa aula de Literatura Queer, mas estou demasiado stressada para me preocupar.

Só quero dormir a sesta e ficar inconsciente e esperar pelo dia de amanhã, em que temos uma reunião marcada com o nosso AR.

Eu só quero... não sei o que quero. Quero sentir-me diferente. Não estar tão abalada. Quero ter os trabalhos de casa feitos.

Eu quero fazer alguma coisa. 

Mas estou apenas a sentir pena de mim próprio.

Escrever os meus pensamentos na esperança de que isso me dê alguma clareza, e talvez até publicá-los para dizer que fiz alguma coisa.

Viemos para a universidade à procura de um lar melhor para nós, talvez isso fosse esperar muito, mas queríamos um escape e a universidade tem sido esse escape.

É que a vida na residência é uma confusão do caraças.

Deveria haver um tipo de seminário que ensinasse a coexistir com o teu colega de quarto e com os teus colegas de casa. Um seminário que ensinasse coisas como: coexistência, co-habitação, interdependência, etc. 

Coisas que deveriam ser mais amplamente exploradas quando se vive entre estranhos.

E esta é uma pequena faculdade de artes liberais!

Mais uma vez, os meus estudos não são a minha principal prioridade. A minha principal prioridade é como lidar com uma situação de vida stressante. 

Pelo menos não temos de nos preocupar com o facto de a bolsa de estudo nos ser retirada se tivermos uma classificação baixa no GPA. Pensámos que a nossa bolsa seria retirada porque obtivemos uma classificação de 3,33 em vez de 3,5 no semestre de outono.

Talvez eu esteja apenas à espera que algo dramático aconteça. Poupa-me a miséria. 

Porque as lacunas que conseguimos não prometem que se mantenham assim. Ficamos doentes e temos de recuperar o mais rapidamente possível, caso contrário podemos enfrentar consequências terríveis. 

E quero recorrer aos nossos amigos, mas parece que estamos a perder tempo porque ainda estamos um pouco atrasados nos trabalhos de casa. Estou demasiado stressada para fazer os trabalhos de casa.

O nosso amigo, que está a sair do nosso andar, ainda não nos disse que está pronto para nos contar o que aconteceu e ainda quer ficar sozinho neste momento. Podemos respeitar isso. Estamos a respeitá-lo. 

Embora também pareça uma rejeição.

Sinceramente, não sei se já estivemos numa situação em que outras pessoas precisassem de um tempo longe de nós. 

Depois da reunião obrigatória de ontem (?), seria de esperar que as coisas começassem a mudar, mas não. Acho que estamos chateados por ainda estarmos presos aos nossos problemas e ainda termos pouca confiança nas pessoas com quem partilhamos o piso. E continuamos a ter medo que alguém descubra que somos um sistema, porque não queremos mesmo que um grupo restrito de pessoas saiba.

Penso que este segundo semestre apenas expôs problemas que estavam presentes desde o semestre de outono, porque parece estar a acontecer tudo muito rapidamente. Estamos apenas na quinta semana do semestre da primavera e quero que este semestre acabe de vez.

Quero que seja no verão, que trabalhemos num sítio perto da nossa faculdade e que ganhemos dinheiro para pagar o alojamento de verão.

Quero ser menos stressada, porque não quero pagar no futuro as dispendiosas contas médicas que podemos vir a ter por termos crescido num ambiente traumático e pelo impacto que isso tem no nosso corpo. Não quero isso.

Também ficámos a saber de um outro caso que aconteceu no nosso piso, principalmente um boato, sobre o qual não quero falar, mas ouvi-lo não nos agradou. Outro problema com que podemos ter de lidar se ficarmos neste andar. 

Mencionámos a reunião com o RA, que espero que nos ajude a compreender a nossa situação de vida e a encontrar possíveis alternativas. Para explorar as nossas opções.

Espero que não haja outro sítio no campus que não seja tão mau como este.

Viemos de um trauma, de uma situação de vida incrivelmente stressante, e parece que acabámos de nos deparar com outra situação de vida que nos está a causar stress. 

Pensava que tínhamos acabado com os maus sítios para viver. 

Claro que podia ser pior. Mas não é certamente bom para a nossa saúde mental. 

Quero lidar com "coisas normais da faculdade", a não ser que isto seja uma coisa normal da faculdade, não sei. Não quero problemas diferentes, mas quero algo diferente. 

A não ser que as coisas continuem a ser um desafio atrás do outro, daqui para a frente. 

Escrever ajudou um pouco. 

Há pessoas barulhentas do lado de fora da minha porta e não consigo concentrar-me bem no meu quarto, porque prefiro ver vídeos do YouTube do que ler um livro que estou atrasado. 

Quero ir para a cama. Mas talvez ainda seja demasiado cedo para adormecer.

Ainda temos de lavar os dentes.

E as pessoas do lado de fora do nosso dormitório podem acordar-nos se tentarmos adormecer, com o barulho que fazem.

Eu quero melhor. Eu preciso de melhor. Nós precisamos de melhor.

1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Mais votados
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
O sistema de fissuras estelares
3 meses atrás

Espero que consigas encontrar uma situação de vida mais estável. Tudo isto parece muito stressante.

Saltar para o conteúdo