Tudo vai ficar bem

Os blogues podem incluir conteúdos sensíveis ou desencadeadores. Aconselha-se a discrição do leitor.

Estou muito grato a tantas pessoas neste momento. 

Gostava de poder exprimir tudo isto, mas é difícil ver em pedaços que eu possa transformar em palavras. É um sentimento muito grande, cheio de buracos de amnésia.

Estou a tentar ver o que me parece ser a melhor coisa a fazer. Agora que tenho esta liberdade que nunca senti antes - o poder de fazer as minhas próprias escolhas porque são o que QUERO fazer - é mais difícil saber em que direção seguir.

Porque se algo nos persegue, fugimos dele. E podes tentar ser inteligente no teu caminho, mas no fim tudo se resume ao instinto. Decisões rápidas.

E agora posso virar-me e olhar para o que estava atrás de mim. De facto, consigo ver muito bem.

Não admira que nos tenham dito para não olharmos para trás.

Acredito em lutar como um pacifista, embora tenha cometido muitos erros. E as cordas das marionetas e as lâminas vorpais nunca se deram bem. Eu consigo ver e não tenho medo.

O mundo é realmente colorido. Ainda tem um filtro por cima, mas consigo VER as cores por detrás do filtro. E sei que estou a chegar lá.

Escrever isto dá-me o início de uma ideia para o que quero fazer. (O blogue é extremamente útil para o nosso sistema. Sempre foi.) Estou... muito entusiasmado com a minha ideia, na verdade. Não tenho medo. E não me estou a forçar a empurrar as palavras para fora através de camadas de estática.

C'um caraças.

Estou ligeiramente vivo.

Não sei se alguma vez me senti assim antes.

No nosso sistema, temos alters que são cristãos, pagãos e agnósticos, para além de um grande número de combinações estranhas destas coisas.

Dão-se muito bem quando não são manipulados pela culpa, que é uma circunstância em que creio que nunca mais nos deixaremos entrar ou ser puxados. 

E, especialmente em tempos de trauma grave, costumavam trabalhar em conjunto para retirar os mais pequenos fragmentos de esperança do mundo que nos rodeia.

"Trabalhar com lápis de cor lembra-me que o oceano é cinzento, verde e azul. Não há problema em sentir falta e amar a pessoa que o nosso sistema vê como a nossa mãe-em-tudo-o-que-não-seja-o-nome."

"O vento está a falar comigo; não estou sozinho."

"Hoje não pude ajudar a minha família escolhida, mas salvei esta libélula do barril da chuva."

"Posso levar as crianças a sério quando elas me perguntam sobre o meu trabalho e os pais têm vergonha delas."

Pequenas coisas mantinham-me vivo. Puxei por mim, um nó de cada vez.

E agora estou aqui.

E todas estas pequenas coisas permanecem comigo.

Ainda não me consigo lembrar de tudo. Mas rodeei-me de coisas bonitas e um dia poderei sintonizar-me com elas sempre que quiser.

Por favor, tenham cuidado convosco lá fora.

-Anon

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Saltar para o conteúdo