Sim, temos um distúrbio.

Os blogues podem incluir conteúdos sensíveis ou desencadeadores. Aconselha-se a discrição do leitor.

Janet aqui com Saoirse por perto. Há alguns dias, escrevi uma entrada no blogue "Será que temos um distúrbio". Estava a sentir-me muito bem e positiva, ia jogar MTG com uns amigos e, sim, do meu ponto de vista, tudo estava a correr bem.

A realidade.

Nem tudo está a correr bem, mas talvez estejamos a curar-nos na mesma? Há duas coisas principais a acontecer no sistema neste momento.

A Susan, que tem apenas 9 anos, foi salva. Sim, demorámos décadas a fazê-lo. Ela é, se não a parte mais traumatizada do T-E-C, pelo menos empatada com ela. Reprimimo-la durante décadas, principalmente por medo. Em parte, inicialmente por medo de que ela fizesse algo prejudicial ao corpo - há muito tempo atrás, ela se auto-flagelava. Mas também por causa do peso do que ela carrega, que é a maior parte do abuso sexual que o T-E-C sofreu. A Susan foi obrigada a carregar a vergonha e a ser, literalmente, a pessoa que ficou... sim... bem, provavelmente já perceberam. 

Achas que os T-E-C são boas pessoas? Exceto a Sharon, basicamente todos nós ignorámos a Susan durante décadas. Empurramo-la para baixo, empurramo-la para baixo. Não quero ver isso, não quero sentir isso. Claro que, de vez em quando, a panela fervia e surgia um flashback, mas a Susan tinha permanecido engarrafada no seu próprio inferno privado durante todo este tempo. Não é que a tenhamos mantido lá de forma maliciosa - no meu caso, esqueci-me simplesmente dela. Simplesmente esqueceu-se? Ok, eu dissociei-me. Muito.

Mas agora ela saiu, foi à Câmara Municipal, está a partilhar um quarto com a Carol Ann, e .... as emoções têm sido fortes. Até Saoirse desatou a chorar esta semana e soluçou. Mas, mais uma vez, durante o meu post de domingo, eu simplesmente dissociei-me de tudo isso. A vida era boa. Desordem, que desordem? Geme.

Sinto-me envergonhado por ter deixado uma criança carregar esse fardo durante décadas sozinha. A Saoirse também. E o que é mau é que temos outro destes por aí. Tso (o silencioso) é a outra parte altamente traumatizada que temos. Não quer dizer que mais ninguém em T-E-C tenha traumas - a maioria tem - mas há traumas e depois há TRAUMA. A Tso está tão traumatizada que não fala, mesmo internamente. E nem Saoirse nem eu sabemos muito sobre ela, para além de pensarmos que é uma das alters mais jovens do sistema, definitivamente em idade pré-escolar. Se alguém tiver alguma dica sobre como comunicar com uma alter não-verbal que tem pavor de emitir qualquer som, diga-nos. Ela está bastante enterrada no nosso cérebro e achamos que não fala muito, mas a questão é: será que saberíamos se ela falasse? Ou será que eu diria, Desordem, que Desordem? :-/

Outra coisa que se está a passar no nosso sistema é que a Saoirse e eu temos andado a ficar muito felizes ultimamente. Falámos um pouco sobre isso no Discord esta noite. É natural e avassalador ao mesmo tempo. Especialmente, acho eu, porque a Saoirse não confia totalmente em mim, sentindo que eu a abandonei. E isto volta à questão da Desordem? Que desordem?

Eu, Janet, tenho dificuldade em lidar com o facto de termos DID. Eu sei, eu sei, temos um site e uma discórdia para pessoas dissociativas. Eu não disse que fazia sentido. Durante a maior parte da minha vida, sempre duvidei, minimizei e neguei completamente ter DID. Foi por minha causa que fomos diagnosticados profissionalmente mais do que uma vez, precisava de outras opiniões.

De qualquer forma, há cerca de 4-5 anos atrás, tornou-se tão óbvio para mim que éramos um sistema que eu meio que explodi um fusível. Disse que estava farto de ser anfitrião e que me queria reformar. A verdade é que eu não conseguia lidar com isso. (Atenção, tínhamos sido diagnosticados pela primeira vez há 25 anos - não é que eu tivesse uma pequena negação ou algo do género). Ainda estou para ler um livro inteiro sobre DID. Já passaram 30 anos desde que nos foi diagnosticada a DID, e continuo a dissociar tanto que não consigo passar do capítulo 2. É difícil para mim escrever aqui, é por isso que não me vêem tanto como a Saoirse aqui. (Eu sei que outros no sistema leram livros e tudo, e ótimo! É que é muito difícil para mim olhar diretamente para ele).

****

Fala Saoirse. A Janet foi-se embora. Ela está mesmo a passar um mau bocado com tudo isto. Sim, Janet, eu senti-me abandonada, mas não só por ti. Eu nunca quis ser uma apresentadora a tempo inteiro. Mas quando a Janet se afastou, ninguém no sistema se aproximou. Por isso, tive de o fazer para sermos funcionais. Comecei a perceber que a Sharon tinha as mãos cheias com os miúdos e não podia. Ainda não sei qual é a desculpa do Forest. E sim, há anos que ando zangada com isso, porque tive de sair tanto da minha zona de conforto e fazer tanto, e acho que sinto que se algum de vós se importasse realmente com isso, ter-me-ia ajudado mais.

Mas a verdade é que sou igualmente mau. Eu abandonei a Susan. Enquanto eu estava zangado com o "Oh, a Saoirse vai tratar de tudo isso, que se lixe a Saoirse", eu fazia parte de um clube "Oh, a Susan vai tratar de aguentar todo esse trauma, que se lixe a Susan".

Mesmo assim, doeu quando te foste embora, Janet. Nós éramos uma equipa há mais de uma década e meia, mesmo que negasse a minha existência em metade do tempo. Eu sabia que estavas sobrecarregada com as coisas da DID. É uma grande parte da razão pela qual trabalhei tanto neste sítio. Pensei que se os livros fossem demasiado longos, talvez os artigos da Wiki funcionassem. Talvez se pudesses ver as experiências dos outros, perceberias que não havia problema em ser quem somos, quem TU és. E acho que funcionou um pouco. Espero que sim.

Sim, pessoal, sou um grande idiota. Todo este site é, na verdade, uma carta de amor para a minha outra metade, para que ela volte para mim. E depois, quando começamos a aproximar-nos e a co-conviver mais, ela vai ao Discord queixar-se: "É demasiado, demasiado avassalador, a Saoirse está demasiado perto", ou lá o que foi. Ai de novo.

Acho que não é nossa intenção fundirmo-nos. Já tentámos isso e falhámos. Não me parece que te vás perder, Janet. Sentir-te-ias melhor se eu dissesse que lutaria para que isso não acontecesse? Eu só quero voltar a ser uma equipa.

Não acredito que vou publicar esta merda.

3 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais votados
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Os fractais da noite
1 mês atrás

Abraços virtuais para todos os que quiserem 🫂 isso é duro

O sistema de fissuras estelares
1 mês atrás

<3 Temos um par do mundo interior - vou chamar-lhes O e M porque são tímidos em relação aos seus nomes (um deles foi gozado por causa do seu nome quando era muito novo) - que têm sido um casal durante praticamente toda a sua existência. Cada um deles guarda muitos dos nossos traumas, cada um deles lida com eles de formas opostas, e a sua forma de se ajudarem um ao outro sairia pela culatra muitas vezes. Ao ponto de se terem separado por causa disso mais do que uma vez.

Por isso, senti muito este post. Especialmente porque também estamos a começar a perceber quantos alters temos guardados para podermos funcionar. Mas também queria dizer que O e M começaram a ter uma comunicação mais honesta e saudável um com o outro. Já lá vão alguns meses e, lentamente, estão a resolver as suas questões. Por isso, espero que a comunicação possa ser restabelecida também para os membros do vosso sistema. É muito solitário e difícil lidar com coisas deste género.

erikajeankruger
1 mês atrás

Eu sei que as coisas têm sido difíceis ultimamente, Janet, com tudo o que se tem passado, isso também me tem feito sentir falso como o caralho, como se não pudesse ser real, e eu devo estar a inventar tudo de forma elaborada. Estou contigo, e provavelmente estarei sempre, acordada às 4 da manhã a mandar mensagens aos meus melhores amigos a dizer que devo estar a inventar tudo por uma razão ou outra e que é apenas um sonho ou uma fantasia e que não pode ser real...

Gostava que não tivesse sido assim e que ninguém tivesse de se debater com sentimentos de invalidação.

Gostava que não fosse um ciclo, e gostava de ter melhores formas de lidar com ele.

Fica a saber que não estás sozinho.

- Geiger

Saltar para o conteúdo